Um milheiro* de anos

sunilanesNão serão certamente muitas as terras que poderão gabar-se de ter registada a antiguidade da sua individualidade territorial em documento datado de 1 000 anos, em latim de Lei e boa caligrafia medieval de frade copista.

Vermoim pertence, por direito próprio, a esse restrito clube, por via do Testamentum de Sunilanes, transcrito no Livro Preto, afamado cartulário da Sé de Coimbra, elaborado no século XII a mando do Bispo Miguel Salomão, para registo e bom governo do vasto património da Diocese Conimbricense.

Por isso celebramos o Testamentum e, por ele a viúva Ermengro, que em boa hora do 30º dia de Outubro de 1014, temendo pela salvação da sua alma, fez lavrar perante as testemunhas de Lei, o registo da sua vontade de legar a Unisco Mendes e ao Mosteiro de Vermoim por ela fundado,  os bens que possuía em Sevilhães, lugar hoje no concelho de Gondomar.

E não se pense que esta terra de Vermoim é uma qualquer de Famalicão ou de Oliveira de Azeméis, que as há por lá igualmente insignes. Por felizes circunstâncias calhou da autora do testamento não querer deixar dúvidas sobre a localização do Mosteiro a que se refere, deixando como que coordenadas geográficas que não deixam margem para dúvidas que aquela Vermoim que refere é a nossa, maiata de lei –  diz que fica nos subúrbios do Porto, próximo do rio Leça, por onde corre o ribeiro de Avioso.

A existência deste documento já seria há muito conhecida de alguns estudiosos, e de entre eles, de alguns historiadores da Maia e de Vermoim, mas a generalização do conhecimento da sua existência iniciou-se com a publicação, em 2006, de uma modesta nota histórica no site da Junta de Freguesia de Vermoim, a qual posteriormente fez replicar como entrada da Wikipédia referente a Vermoim, e que actualmente ainda se mantém inalterada, dando lugar, a partir daí, a quase tudo quanto actualmente é citado na e da Internet a propósito da História de Vermoim. Não por especiais razões de valor cientifico, que algum mínimo, ainda assim, terá mas sobretudo por falta de outras fontes em linha.

A minha ciência histórica tem pernas curtas e por muito que salte não chega para mais do que reconhecer a importância do Testamentum de Sunilanes.

Felizmente, porém, Vermoim conta entre os seus, com um homem estudioso, culto, amante da História e sobretudo das coisas antigas da sua terra, capaz de escalpelizar ao detalhe mais singular, cada documento que “cheire a Vermoim” e que tem vindo, desde há muitas décadas a fazer luz sobre a história de Vermoim, com um rigor de análise científica exemplar, sem nunca sacrificar, porém, a singeleza da linguagem. E uma vez mais, como é seu timbre, o António Pato, em menos de um fósforo, a propósito do Testamentum de Sunilanes produziu um trabalho admirável de rigor e conhecimento, que a todos nos ilustra e enriquece, que num opúsculo hoje se dá à estampa, com orgulho e gratidão.

“In illo tempore” e em boa hora, a Junta de Freguesia de Vermoim fez perpetuar o nome da fundadora do mosteiro de Vermoim, Unisco Mendes, na toponímia da terra e, posteriormente, inscreveu nas paredes da mais nobre sala da sua, então novel, sede excerto significativo do Testamentum, que ainda lá pode e poderá ser lido,  tenho a certeza por muito tempo.

Em 1 000 anos muitas vicissitudes históricas viveu Vermoim e, nos próximos 1 000, muitas outras viverá, sempre em constante mutação. O que persistirá, porém, será a memória e a identidade dos lugares que nunca morrem, assim as saibamos cultivar.

Acredito que são os Homens que fazem a circunstância histórica, mas, tarde ou cedo, sempre a memória e a identidade dos lugares se forem suficientemente fortes, se lhes imporão, condicionando-os na sua ação construtora da História.

 Vermoim, 21 de Outubro de 2014

*se aprendeste na escola que um milheiro são mil unidades, as notícias não são boas: estás velho!

Aloisio Nogueira

Génio em part-time. Nasceu em 1966 e está moderadamente contente com isso, embora os seus rendimentos sejam ridiculamente baixos. Part-time genius. Born in 1966, is mildly happy about that. Ridiculously small income, though.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.